fev

Visio implanta WMS Infor na Tricae, empresa do grupo Rocket Internet

Case WMS Tricae
Case WMS Tricae

De acordo com as projeções da e-bit, o comércio eletrônico brasileiro tem expectativa de crescer 25% em 2013 com um faturamento de R$ 28 bilhões. O e-commerce no País encerrou o ano de 2012 com alta de 29% em relação a 2011, segundo o levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), sendo responsável por movimentar R$ 24,12 bilhões.

Atenta a esse cenário, a Tricae, loja online especializada em artigos infantis para crianças de 0 a 10 anos, está traçando sua recente trajetória no e-commerce e já vem colhendo frutos de contar com a tecnologia logo no início. Lançada em dezembro de 2011, impulsionada pelo investimento do grupo alemão Rocket Internet, a Tricae comercializa mais de 15 mil produtos das mais diversas marcas.

A Rocket Internet é parceria da Tricae em toda a adaptação de plataforma tecnológica para o site de compras. Mas, o crescimento do site exigiu um upgrade no parque tecnológico. O atual momento, no entanto, é de investimento em um sistema de gestão, o tradicional ERP. De acordo com Gustavo Furtado, CEO da Tricae, a implementação teve início na área fiscal. Para a segunda fase do projeto será feito instalações de módulos de CRM, atendimento ao consumidor, controle de estoque e fluxo de pedido.

“Ao término da implementação, ainda vamos passar por uma terceira fase, a de integração de sistemas. Em geral, já caminhamos 25% neste projeto. É um processo longo e precisamos ser muito cuidadosos. Não podemos migrar totalmente o sistema”, diz o executivo. A Tricae trabalha com dois fornecedores da tecnologia de ERP: a Infor e a Visio.

Mercado escasso

Na visão de Furtado, o maior desafio das empresas de e-commerce é encontrar soluções tecnológicas que atendam as necessidades específicas do Varejo eletrônico. Este gargalo, continua ele, parte principalmente do mercado de fornecedores de tecnologia. Diante dessa dificuldade, o CEO explica que a Tricae chegou a cogitar a possibilidade de desenvolver internamente um sistema de gestão, mas, no final das contas, foi mais vantajoso contar com a ajuda de players de mercado.

“São poucas empresas que têm soluções robustas para o e-commerce. Não achamos nenhuma solução que atendesse nossas demandas. Nós passamos por processos de conversas, negociações e adaptações de tecnologia para nosso negócio. Conseguimos estabelecer um bom contrato com os parceiros que estavam dispostos a embarcar nessa jornada e juntos desenvolvemos uma plataforma flexível e com ótimo custo benefícios”, explica o executivo.

Outro desafio foi entender o que o negócio da Tricae precisava e traduzir em funcionalidade. Além disso, a loja online passou por processos de contratação de profissionais capacitados em tecnologia de ERP e em comércio eletrônico. “Não existe uma fase fácil, tem muito desafio pela frente, mas estamos conseguindo superar com bons resultados”, aponta Furtado.

A Tricae já nasceu usando tecnologias no modelo de computação em nuvem para os servidores e aplicações. O próximo passo será automatizar o centro de distribuição, análise de crédito, reserva de produtos e fluxo logístico, tudo será integrado ao ERP. Segundo as estimativas de Furtado, em dois anos a Tricae estará totalmente automatizada.