maio

Tecnologias para varejo e os desafios do setor vistos de fora

Tecnologias para varejo
Tecnologias para varejo

Mobilidade, redes sociais, novo perfil do consumidor. De fato, o Varejo mundial está passando por uma série de mudanças pautadas pelas demandas vindas do próprio cliente. A Tecnologia da Informação tem um papel fundamental para fomentar as transformações das lojas físicas e virtuais e vem sendo discutida em várias frentes de negócio.

A ThoughtWorks é uma consultoria global e fornecedora de softwares para o Varejo. Presente em 11 países incluindo o Brasil, a companhia conta com 2.500 colaboradores e o diretor de Varejo para as Américas, Robin Copland, esteve no País para discutir os avanços no mercado varejista junto a CIOs e CEOs das grandes redes. O executivo falou com exclusividade à Decision Report sobre as tendências em alta no Varejo.

Decision Report: Como os varejistas brasileiros estão lidando com essas mudanças e evoluindo para atender as expectativas dos consumidores?
Robin Copland: Alguns grandes varejistas estão tomando medidas agressivas para atender as demandas dos seus clientes. Porém, de modo geral, o mercado brasileiro não está evoluindo estrategicamente como deveria. O Varejo nacional precisa acelerar o ritmo de investimento em tecnologias relevantes para o negócio e para o consumidor.

Decision Report: Como a TI das redes varejistas nacionais está lidando com essas transformações? A gestão ficou mais complexa?
Robin Copland: É um momento difícil para os departamentos de TI, pois algumas empresas do setor estão finalizando a implantação de sistemas básicos de infraestrutura, enquanto buscam novas tecnologias exigidas pelo mercado. Outros estão remodelando seus sistemas legados, que lhes permitam desenvolver práticas de negócio em um ritmo mais acelerado. Como um varejista brasileiro me disse: “Estamos tentando mudar o motor enquanto pilotamos o avião.”

Decision Report: A equipe de TI está preparada para trabalhar com sistemas nos quais os consumidores têm o poder nas mãos?
Robin Copland: É um desafio para o mercado brasileiro, especialmente em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, onde a gama de talentos disponíveis é particularmente competitiva. Além disso, como muitos CEOs estão enxergando a realidade de que a tecnologia é a maior mudança em seu ambiente e eles terão que lidar com isso, acredito na tendência de parcerias com provedores de outsourcing para suportar as demandas.

Decision Report: Como o Varejo está adaptando as soluções para as demandas de negócio?
Robin Copland: A mudança que percebo hoje é o foco no desenvolvimento personalizado de soluções, principalmente as ferramentas empacotadas. Esses sistemas foram e continuam sendo críticos para a manutenção de infraestrutura e ampliação das operações. O papel da TI neste cenário é orientar o Varejo no sentido de implementar, gerenciar e apoiar os grandes sistemas de ERP.

Decision Report: Quais soluções tecnológicas você destacaria para o setor varejista?
Robin Copland: Mobilidade, computação em nuvem e mídias sociais são elementos fundamentais para o Varejo. Estas tecnologias, no entanto, não são novas e a tendência é que os consumidores se abram ainda mais para tornar a tecnologia parte de suas vidas. Alguns dos nossos clientes estão se movendo para uma exploração mais ampla como tecnologias de realidade aumentada, visualização em 3D, reconhecimento facial, superfícies sensíveis ao toque, entre outras. Estas soluções têm o potencial de oferecer ao cliente uma experiência altamente envolvente se aplicado de forma inovadora.

Decision Report: Quais são suas expectativas para o setor?
Robin Copland: Estamos vivendo um momento muito emocionante no Varejo. A tecnologia está avançando em um ritmo cada vez mais rápido e existem algumas lojas no Brasil que já estão começando a pensar sobre uma abordagem diferente para o mercado. Essa transformação será emocionante.

Fonte: Decision Report – artigo escrito por Léia Machado em 16/05/2013